Pronomes Pessoais – o que são e como funcionam

Pronomes pessoais

Se você é um estudante com certeza já se deparou por aí com os temidos pronomes pessoais.

Apesar de serem essenciais para a formação de frases e orações em português eles também despertam muitas dúvidas nas pessoas.

Aqui você encontra um material completo para tirar todas as suas dúvidas sobre esse tema: o que são pronomes pessoais, para que servem, quais são suas funções na formação de orações e exemplos de como são usados no dia a dia.

Sumário

O que são pronomes pessoais

Começando pela dúvida mais básica, os pronomes pessoais são usados para substituir substantivos e para se referir às pessoas que estão no discurso.

Ou seja, são aquelas palavrinhas que justamente são usadas para falar de si ou de alguém que esteja envolvido na conversa.

Os pronomes pessoais podem ser usados na 1ª, 2ª ou a 3ª pessoa. Isso serve tanto para o singular quanto para o plural.

Relembre quais são essas pessoas:

  • 1ª pessoa: eu (singular), nós (plural);
  • 2ª pessoa: tu (singular), vós (plural);
  • 3ª pessoa: ele, ela (singular), eles, elas (plural) e tudo aquilo que não é um ser vivo.

Esses pronomes são usados para direcionar a conversa, se referir especificamente a alguém.

Eles podem, portanto, se referir a quem fala (eu), com quem se fala (você) e de quem se fala (ele/ela).

Tipos de pronomes pessoais

Os pronomes pessoais são divididos entre Pronomes Pessoais do caso Reto e Pronomes Pessoais do caso Oblíquo.

Entender as diferenças entre eles é fundamental para ter uma compreensão mais ampla e refinada sobre esse assunto.

Pronomes do caso Reto:

Os pronomes pessoais do caso reto atuam como sujeito ou como predicativo do sujeito. O sujeito é aquele sobre quem falamos na oração.

Por exemplo:

  • Pedro (sujeito) ganhou o campeonato;
  • Nós (sujeito) vajamos para a Inglaterra;
  • Pai e filho (sujeito composto) são formados em medicina.

O predicativo do sujeito, por sua vez, tem a função de dar ao sujeito uma característica muito clara.

Veja alguns exemplos para entender como funciona:

  • Luana é muito inteligente;
  • Rafael está bonito;
  • Nós somos felizes;
  • O quadro é muito caro.

Nesse caso, Luana, Rafael, Nós e “quadro” são os sujeitos.

Enquanto isso, “inteligente”, “bonito”, “felizes” e “caro” são predicativos do sujeito, ou seja, palavras que atribuem características a esses sujeitos.

Essa breve explicação sobre sujeito e predicativo do sujeito é importante justamente porque os pronomes pessoais ratos podem cumprir o papel em qualquer uma dessas funções.

Veja exemplos:

  • Nós gostamos de estudar.

“Nós” é o pronome pessoal do caso reto que se refere a quem gosta de estudar.

  • Eu não sou ele.

“Eu” é o pronome pessoal reto de quem estamos falando e “ele” é o pronome pessoal reto usado no predicativo do sujeito, ou seja, substituindo uma característica do sujeito.

  • A escolhida é ela.

‘Ela” é o pronome pessoal usado como predicativo.

Aprenda também:

Lista de pronomes pessoais do caso reto:

  • Eu
  • Tu
  • Ele/ ela;
  • Nós;
  • Vós;
  • Eles/ elas.

Geralmente os pronomes pessoais do caso reto são bastante usados como complemento verbal na comunicação do dia a dia.

No entanto, quando falamos em língua culta isso não é aceito.

Por exemplo, é comum dizermos:

  • Encontrei ela hoje.

Mas o correto é:

  • Encontrei-a hoje.

Aqui vale fazer um adendo de que os pronomes pessoais do caso reto também nunca devem ser acompanhados de preposições.

Quando isso acontece estamos falando de pronomes oblíquos, assunto que abordamos no tópico a seguir.

Pronomes pessoais oblíquos:

A outra possibilidade se trata dos pronomes pessoais oblíquos.

Nesse caso, eles são aplicados na oração como objeto direto, objeto indireto, complemento nominal, agente da passiva e adjunto adverbial.

Vimos anteriormente que o pronome pessoal reto é aquele que é usado para se referir ao sujeito, ou seja, a quem sofre a ação.

No caso de um pronome pessoal obliquo, ele muda um pouco de função e passa a ser um complementar, não sujeito da oração. Veja um exemplo bem ilustrativo:

  • “Ele realizou a tarefa”.
  • “Ele” (sujeito) + “realizou” (verbo) + “tarefa” (complemento).

Nesse exemplo temos exatamente um pronome pessoal do caso reto, pois “ele” é um pronome pessoal (2° pessoa) que realizou a ação diretamente. Mas, veja como poderia ser escrita.

  • “A tarefa foi realizada por ele”.
  • “Tarefa” (sujeito) + “foi realizada” (locução verbal) + “por ele” (complemento).

Perceba que nesse caso o pronome pessoal “ele” não cumpre mais o papel de sujeito.

O sujeito é “a tarefa”, que foi quem efetivamente sofreu a ação (foi realizada) pelo complemento (por ele).

Portanto, se trata de um pronome pessoal oblíquo.

Lista de pronomes pessoais oblíquos

  • Me/ Mim;
  • Te/ ti
  • O/ a;
  • Se;
  • Lhe;
  • Ele/ ela;
  • Si;
  • Nos/ nós;
  • Vos/ vós;
  • Os/ as;
  • Lhes;
  • Eles/ elas.

Pronomes oblíquos tônicos e átonos

Os pronomes do caso oblíquo são divididos entre tônicos e átonos.

A diferença entre eles é bem fácil de compreender, principalmente observando alguns exemplos conforme faremos a seguir.

Os pronomes tônicos são sempre acompanhados de uma preposição. Eles dependem da preposição para que sua função seja compreendida na oração. Por exemplo:

  • Eu contei tudo para ela.

Eu (pronome pessoal do caso reto) Ela (pronome pessoal oblíquo). Nesse caso, como “Ela” está acompanhado da preposição “para”, se trata de um pronome pessoal obliquo tônico.

Já os pronomes oblíquos átonos são aqueles que não precisam do acompanhamento da preposição e cumprem função de um complemento. São eles: “me, te, lhe, o, a, se, nos, vos, lhes, os, as, se”. Veja exemplos:

  • Ele te entregou tudo.

“Te” indica para quem foi entregue, portanto é um pronome pessoal oblíquo átono. Outro exemplo:

  • Ela nos presenteou na data.

“Ela” é o sujeito enquanto “nos” é o pronome pessoal oblíquo que dispensa preposição, portanto, átono.

Recapitulando informações sobre os pronomes pessoais

Hoje você aprendeu tudo sobre os pronomes pessoais. Para lhe ajudar na memorização vamos recapitular o que foi debatido aqui e que é muito importante para quem está estudando sobre a língua portuguesa:

Pronomes pessoais são aqueles usados para se referir a alguém na oração, seja em 1°, 2° ou 3° pessoal tanto no plural quanto no singular.

Os pronomes pessoais são:

  • 1ª pessoa: eu (singular), nós (plural);
  • 2ª pessoa: tu (singular), vós (plural);
  • 3ª pessoa: ele, ela (singular), eles, elas (plural) e tudo aquilo que não é um ser vivo.

Eles podem ser separados entre pronomes do caso reto ou do caso oblíquo.

Os pronomes do caso reto são aqueles que atuam como sujeito ou como predicativo do sujeito. São sempre sobre quem nos referimos na frase.

Já os pronomes pessoais oblíquos são aqueles que são aplicados na oração como objeto direto, objeto indireto, complemento nominal, agente da passiva e adjunto adverbial.

Além disso, os oblíquos podem se dividir entre tônicos e átonos.

Os tônicos dependem do uso de uma preposição para serem compreendidos. Já os átonos são aqueles que não dependem da preposição e cumprem papel de um complemento.

Os pronomes são realmente bem complexos, cheios de detalhes e são essenciais para a língua portuguesa.

Por isso, seja para quem está estudando para algum exame ou para quem faz questão de compreender a norma culta do idioma, esse é um assunto fundamental.

A melhor forma de estudar os pronomes pessoais é lendo e relendo essas dicas.

Além disso, é importante realizar exercícios por escrito que ajudem a memorizar a função e cada um em uma frase.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Sair da versão mobile