Podia ou Poderia

Podia ou poderia são duas palavras da língua portuguesa cujos sentidos e aplicações podem ser confundidos.

Por isso, trouxemos hoje um material completo para explicar quando usar cada uma dessas palavras e quais são as diferenças entre elas.

Ambas se referem a uma possibilidade, ao “poder”, mas é interessante analisar as diferenças entre podia ou poderia para aprender a aplicar corretamente cada um dos termos.

Vale destacar que elas pertencem a tempos verbais diferentes, ou seja uma é do pretérito imperfeito e a outra do futuro do pretérito.

Então, leia até o final para entender melhor.

Quando usar podia ou poderia

Para começar é importante saber qual é a definição correta para cada um dos termos.

Veja a explicação breve a seguir.

  • Podia: podia refere-se a uma ação ocorrida no passado, mas que até o momento da fala não foi concluída. Se trata de um pretérito imperfeito.
  • Poderia: nesse caso nos referimos a uma ação que acontecerá no futuro, mas depende de algo do passado. Portanto, é o caso de futuro do pretérito.

Entender as diferenças entre podia ou poderia pode parecer complexo somente lendo as definições, mas fica mais simples conforme você acompanha exemplos que esclarecem a informação.

Exemplos de podia ou poderia

Vale a pena ressaltar que tanto podia quanto poderia estão corretos.

O que difere aqui a intenção com que se usa cada um dos termos, afinal, eles dependem de contextos diferentes para serem aplicados.

Podia se refere a um fato passado com uma ideia de continuidade.

Portanto, entendemos que determinado processo era constante antes.

Veja alguns exemplos:

  • “Naquele momento ela não podia sair de casa”;
  • “Naquela época eu podia comprar mais coisas com a mesma quantia de dinheiro”.

Já o poderia que classificamos como futuro do pretérito do indicativo vem com um sentido de dúvida, algo que não foi concluído e que, portanto, deixou uma probabilidade com relação aos fatos passados.

Por exemplo:

  • Talvez, se tivesse me dedicado mais, eu poderia ter passado no concurso;
  • Ele poderia ter chegado a tempo se tivesse se planejado melhor.

Nessas situações, entendemos que o futuro não foi concluído por algum fator que interferiu no passado.

Por isso é o futuro do pretérito do indicativo.

Podiam ou poderiam?

A regra gramatical que aplicamos anteriormente também vale para os verbos conjugados na terceira pessoa do plural.

  • Elas podiam ter ganhado o concurso, mas não conseguiram acertar os passos.
  • Naquele dia elas não podiam sair de casa.
  • Não podiam ir ao shopping no sábado porque estava fechado.

Os exemplos esclarecem que a regra continua, e que podiam e poderiam seguem, a mesma lógica de seus equivalentes no plural.

Você pode gostar também de:

Devia ou deveria

Tudo o que explicamos até aqui se aplica perfeitamente bem também às palavras devia ou deveria.

Da mesma forma, ambas estão corretas e existem no português, porém, são conjugações em tempos verbais distintos.

Veja alguns exemplos:

Devia:

  • Ele devia ter ficado em casa, mas não sabíamos que isso ia acontecer.
  • Eu devia ter ido, mas fiquei com receio de não chegar a tempo.

Deveria:

  • Ele deveria ter se preparado melhor para o evento;
  • Ela já deveria estar em casa uma hora dessas.

É absolutamente normal ter dúvidas a respeito do uso de podia ou poderia, devia ou deveria e outras conjugações semelhantes.

O mais importante é pesquisar para tentar entender melhor com aplicar corretamente cada uma.

Continue nos acompanhando aqui no blog e, nos ajude a crescer divulgando nossos artigos em suas redes.

Um grande abraço!

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.