Auto-análise ou Autoanálise

A palavra ”auto” é um falso prefixo de origem grega. Apesar de aparecer em muitas palavras acompanhado de hífen, é muito comum ter dúvidas de como utilizar. Um desses exemplos é com relação a auto-análise e autoanálise.

A palavra é utilizada para se referir a um indivíduo que analisa a si, que reflete sobre suas ações, identifica seus sentimentos e principalmente avalia as emoções de forma sincera e sem julgamentos.

Mas, em relação à escrita, será que precisamos usar o hífen?

No artigo abaixo você vai descobrir a maneira correta de escrever esse termo: se é auto-análise ou autoanálise.

 Auto-Análise ou Autoanálise: qual maneira é a correta?

Após o acordo ortográfico, o hífen, que é um sinal em traço, deixou de ser necessário em prefixos cuja vogal termine diferente da vogal que se inicia a segunda palavra.

Sendo assim, entre auto-análise ou autoanalise ficamos com a segunda forma, onde o hífen não acompanha.

Portanto, a forma correta de escrever é autoanalise.  

Quando usar o hífen após o prefixo “auto”?

Além da dúvida sobre auto-análise ou autoanálise, também existem dúvidas em relação ao uso do hífen após o prefixo “auto” em outras situações.

Para entender é muito simples: o hífen apenas se mostra presente quando o segundo elemento, ou seja, a palavra que vem após o “auto” começa com “o” ou “h”.

Veja abaixo alguns exemplos de quando o hífen pode ser empregado com o prefixo auto:

  • Auto-hipnose;
  • Auto-oxidante;
  • Auto-hemoterapia;

Um outro ponto é: quando o segundo elemento começar com as consoantes “r” ou “s”, o hífen não é necessário e as consoantes serão dobradas. Confira abaixo como ficam:

  • Autossuficiente;
  • Autorresponsabilidade;
  • Autossômicos;
  • Autorretrato.

Nas demais situações, o prefixo “auto” acompanha o segundo elemento sem o uso do hífen. Veja na lista a seguir;

  • Autoconfiança;
  • Autobiografia;
  • Autopiedade;
  • Autoescola;

Com essa regra em mente, você terá bem menos dúvidas na hora de escrever palavras em que o prefixo “auto” apareça.

O que é um prefixo falso?

Para explicarmos o que é um prefixo falso, é preciso deixar claro o significado de prefixo. De acordo com a gramática, um prefixo é um afixo que se junta com outro elemento para formar um termo com significado.

Um falso prefixo nada mais é do que uma palavra independente que com o tempo começou a ser empregada como um prefixo. Veja:

  • Auto (por si mesmo): O rei pode se autogovernar;
  • Contra (não é a favor): Ele era contra o racismo;
  • Micro (pequeno): O surfista pegou uma micro-onda naquele dia.

Um falso prefixo é aquele que possui o seu radical, e, portanto, seu próprio significado. As palavras “auto”, “contra” e “micro”, apesar de serem prefixos, possuem também seus significados independentemente do que as acompanha.

Leia também:

Não tenha mais dúvidas ao usar o prefixo

Gostou dessa dica? Agora que você já sabe o que é um prefixo e quando utilizar o hífen em palavras com o prefixo “auto”, não terá problemas na hora de escrever auto-análise ou autoanalise.

Lembre-se de consultar o nosso blog caso tenha alguma dúvida sobre esse e outros temas da língua portuguesa.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.